sábado, 15 de agosto de 2009

(...)



Bom, com alguma surpresa, vi esses dias este blog indicado a este selo. A autora da indicação foi minha prima. Minha priminha, e por mais que os adolescentes tenham horror a esses diminutivos, ela é minha priminha. Vi essa moça nascer, não literalmente, claro. Frequentei a casa em Varginha(MG), que dava fundo para o terreno baldio onde teriam visto aquele ET (hehe). Ela era ainda a mais novinha do motim de revoltados que se juntavam e enburravam quando nossos pais resolviam ir à Praia Seca, em Araruama. Praia que ninguém parecia gostar. Lembro da sua viagem psicodélica ao examinar uma garrafa de azeite com forma estranha em uma pizzaria. Se você não lembra disso, prima, eu lembro. E conto e queimo o filme mesmo.

O fato é que essa garotinha hoje é uma moça. E eu fico me perguntando de onde saiu toda essa maturidade que os seus textos transbordam. De mim é que não foi. Da irmã hippie, também creio que não (já tô sabendo do seu comentário quanto à minha habilidade de fazer miojo, dona Mariana). Não sei. E, sinceramente, não importa. Não tanto quanto o fato de que essa maturidade existe. E os textos são de uma densidade, uma profundidade, que ao ler, as vezes tenho a sensação de que ela faz uns clássicos da delicadeza, enquanto o primo meio bronco aqui nunca consegue fazer mais que um Duro de Matar. Parabéns, Marina. Parabéns de verdade. Pelo selo e pelo talento. E te agradeço muito pela lembrança dos meus textos na sua vez de homenagear.

O protocolo diz que devo indicar mais quatro blogs para o prêmio. Bom, desculpem, mas vou me reservar o direito de quebrar a corrente dessa vez. De mudar um pouco o ritual. Já faz algum tempo desde que fiz isso pela última vez, mas acontece que meus blogs preferidos continuam os mesmos que indiquei da última vez. Com uma ou outra novidade, que já ganharam o selo. Todos os blogs das pessoas que indicaria tem link nessa página, vale a pena uma olhada.

Fim dos parênteses.
Beijos, Marina, obrigado.